WEST 1 Intercâmbio
  • Nossos Destinos
  • Austrália
  • Canadá
  • Irlanda
  • Nova Zelândia
  • Sobre nós
  • Blog
  • Nossos Serviços
  • Sobre a WEST 1
  • Social Media links
  • West 1 TV
  • Escolas e Cursos
  • Agências
  • Ouvidoria
  • Fale Conosco
  • Harbour Bridge Sydney Austrália

    SYDNEY

    Snapshot

    Overview

    Overview

    › População:

    4.741.874 (Jun/2017)

    › Área:

    12,368 km²

    › Fuso Horário:

    Em relação ao Horário de Brasília: +13h

    › Código Telefônico:

    02

    › Localização (Região):

    New South Wales

    › Data de fundação:

    26 de janeiro de 1788

    › Índice de melhor cidade para se viver:

    Colocação: 10º (2018)

    › Densidade demográfica:

    400/km² (2017)

    › Custo de vida:

    Estimativa mensal para uma pessoa (sem aluguel): AU$ 1.288

    › Temperatura média:

    Máxima média anual: 21,7 °C Mínima média anual: 13,8 °C

    Climate

    Climate

    Com mais de 240 dias de sol por ano, Sydney possui o chamado clima mediterrâneo, com verões de mornos a quentes, úmidos e com temperatura média máxima em torno de 26 °C, enquanto os invernos são amenos, com máxima em torno de 16 ºC. As chuvas são bem distribuídas ao longo do ano, mas com maior precipitação entre março e junho.

    Lifestyle

    Lifestyle

    Cosmopolita, um dos grandes centros internacionais, mas ao mesmo tempo com estilo de vida despojado e praiano.

    History

    History

    Sydney nasceu como colônia penal em 1788, quando Arthur Phillip desembarcou com os famosos 11 navios da Primeira Frota em Port Jackson. O transporte de condenados só terminou na década de 1840, época em que os colonos já pleiteavam mais controle sobre seus assuntos, inclusive conquistando alguns lugares no novo Conselho Legislativo, em 1942. Neste mesmo ano, Sydney, que ainda era uma aldeia de ruas poeirentas e mal iluminadas, com habitações sem água ou saneamento, foi incorporada como cidade, ocupando onde ficam hoje os bairros de Woolloomooloo, Surry Hills, Chippendale e Pyrmont.

    Public Transport

    Public Transport

    O sistema de transporte público de Sydney possui uma rede abrangente e integrada que inclui trem, ônibus, balsa e bonde elétrico. O melhor lugar para obter informações sobre itinerários, tarifas e horários, e também para planejar qualquer viagem, é no site de transporte do governo de New South Wales.

    Um dos diferenciais em New South Wales é o Opal card, um bilhete gratuito recarregável para ser usado em todas as opções de transporte público de Sydney e também ao redor da cidade, nas regiões de Blue Mountains, Central Coast, Hunter, Illawarra e Southern Highlands

    Os serviços de trem e ônibus cobrem toda a cidade e o entorno, enquanto que as balsas são uma ligação muito útil entre diversos pontos da baía, incluindo o centro de Sydney com Manly. Para os lugares mais distantes do estado, os trens que saem da Central Station são as melhores opções, apesar de que também há ônibus que fazem muitos desses trajetos. O bonde elétrico é o menos usado por ser um pouco mais caro e ter um itinerário mais limitado.

    Estude e trabalhe
    em SYDNEY

    Local de desembarque dos primeiros colonizadores europeus, New South Wales é até hoje a principal porta de entrada da Austrália, com cerca de 15 milhões de pessoas aterrissando anualmente em voos internacionais no aeroporto de Sydney, o mais movimentado do país, por onde passam mais de 40 milhões de passageiros por ano.

    Sydney é a cidade mais populosa da Austrália e também a capital de New South Wales. Estima-se que o número de habitantes já passe de 5 milhões, sendo que mais de 25% nasceu fora da Austrália e mais de 1.3 milhão fala um idioma diferente do inglês em casa. As cinco principais ascendências são: australiano, inglês, irlandês, escocês e chinês.

    Com belas praias, uma das baías mais lindas do mundo, ótimas opções de restaurantes, de lazer a céu aberto e tantas outras atrações, Sydney é uma cidade que, rapidamente, você já chama de sua.

    Você sabia?

    • 'looooooooonga'

      A Harbour Bridge mede 1.149 metros e é a maior ponte em arco de aço do mundo
    • 'que vista!'

      Sydney Tower é o edifício mais alto de Sydney e o terceiro mais alto da Austrália, oferecendo vista magnífica da cidade de 360 graus
    • 'Faraônica'

      A Opera House de Sydney foi concluída em 1973, levando 14 anos para ser construída e usando 10 mil trabalhadores, com um custo total final de US$ 102 milhões - mais de 14 vezes o preço inicial;
    • 'quem?'

      O morador de Sydney é conhecido como "Sydneysider";

    Saiba tudo sobre intercâmbio em SYDNEY

    Descubra por que estudar em Sydney com a WEST 1.

    FAQ

    • 1) Por que estudar em Sydney

      New South Wales possui o maior setor de pesquisa da Austrália, país classificado em primeiro lugar na região da Ásia-Pacífico pela qualidade de suas instituições de pesquisa. Muito desse conhecimento está em Sydney, que abriga universidades de renome internacional como University of New South Wales e University of Sydney, ambas entre as 50 melhores do mundo segundo o QS World University Rankings 2018, além de University of Technology Sydney (UTS), Macquarie University, Australian Catholic University e Western Sydney University. Com um grande número de instituições particulares de ensino superior, vocacional e inglês de alta qualidade, Sydney concilia um elevado nível de educação com a vantagem de viver em praias belíssimas como Bondi, Coogee, Maroubra, Manly e tantas outras.
    • 2) 9 Motivos para estudar em Sydney

      1. Estudante brasileiro pode trabalhar 40 horas por quinzena (e em tempo integral durante as férias);
      2. Duas universidades entre as 50 melhores do mundo;
      3. Constantemente eleita entre as 10 melhores cidades do mundo para se viver;
      4. Grande diversidade cultural;
      5. Programação cultural intensa ao longo do ano;
      6. Une belas praias e diversidade de nacionalidades;
      7. Repleta de parques e espaços verdes;
      8. Clima mediterrâneo;
      9. Possui dezenas de praias no mar e na baía.
    • 3) Sobre Sydney

      A área metropolitana tem cerca de 650 subúrbios, que se estendem por cerca de 70 km a oeste, 40 km ao norte e 60 km ao sul. Sydney começa nas águas da Sydney Harbour, a baía onde estão a Opera House e a Harbour Bridge, que formam o principal cartão postal da cidade. De lá em direção à Central Station está o centro comercial e financeiro que, apesar dos prédios altos e da intensa correria do dia a dia, reserva grandes espaços verdes como o Royal Botanic Gardens, Domain Park e Hyde Park, além da bela Darling Harbour, à beira da baía. A principal via que liga o centro aos Eastern Suburbs, onde estão as praias mais famosas, é a Oxford Street, que passa por bairros como Darlinghurst e Paddington, parques como o Centennial e o Queens, e termina em Bondi Junction, o ponto de interseção com as praias de Bondi, Tamarama, Bronte, Coogee e Maroubra, entre outras. Para o norte da baía está North Sydney e a também famosa Manly Beach, linda praia com ótima infraestrutura e ponto de partida para praias como Freshwater, Curl Curl, Dee Why, Narrabeen, Newport, Avalon e Palm Beach.
    • 4) Acomodação em Sydney

      Muito importante, ao pesquisar um lugar para morar, que este seja próximo à escola ou que seja facilmente acessível via transporte público. Dividimos as acomodações em dois tipos, de acordo com a duração da viagem:

      Curto prazo

      Hostels Backpackers (Albergues)

      Os hostels são boas opções para quem deseja economizar com acomodação. Os quartos em geral são coletivos, mas também há de casais e individuais. Preferidos dos viajantes jovens, os ambientes são bem descontraídos, de muita socialização e, com isso, muito procurados nas altas temporadas.

      Lodges

      São espécies de pousadas que oferecem quartos individuais, de casais e coletivos. O ambiente é menos agitado e mais privado do que os hostels, os preços são um pouco mais caros, mas ainda mais em conta do que os hotéis.

      Longo prazo

      Homestay (casa de família)

      A WEST 1 recomenda que, pelo menos nas primeiras semanas, o estudante se hospede em uma homestay, que são casas de famílias australianas ou de imigrantes que já estão há muitos anos no país. É lá que o estudante começa a ter contato com a cultura australiana, exercita o que aprende na escola, conhece a cidade e tira dúvidas. Para participar deste tipo de programa, as famílias são credenciadas pelo governo australiano, o que garante total segurança para o estudante.

      Share accommodation

      Após o período da homestay, o estudante já está mais familiarizado com a escola e a cidade. Sentindo-se mais independente, o passo seguinte é dividir um apartamento ou um quarto com outros estudantes, muitos deles de nacionalidades diferentes, o que é uma experiência muito bacana, além de ser ótimo para aprimorar o idioma. O aluguel, na maioria das vezes, é pago semanalmente, e antes de se mudar é preciso depositar o famoso “bond”, que nada mais é do que um adiantamento que varia de duas a quatro semanas do aluguel.
    • 5) Trabalho em Sydney

      Na Austrália, assim que as aulas começam, o estudante pode trabalhar 40 horas por quinzena (e em tempo integral durante as férias). Para isso, é importante abrir uma conta de estudante em um banco e fazer o Tax File Number, um registro junto ao Australian Taxation Office que permitirá receber do empregador e se acertar com o imposto de renda. Em Sydney, as indústrias que mais empregam são a de alimentação e hotelaria, que incluem bares, restaurantes, cafés, pubs e hotéis, absorvendo 21,6% da força de trabalho. Em seguida vem serviços profissionais, científicos e técnicos, com 15,9%, que abrangem diversas especificações dentro da construção civil.
    • 6) Atrações em Sydney

      Não é exagero afirmar que o verão em Sydney é uma grande festa. Não só pelos dias ensolarados que movimentam as dezenas de praias da cidade mas também pela intensa programação cultural e esportiva. O evento que melhor define a personalidade da cidade talvez seja o Sydney Festival, que há mais de três décadas apresenta em sua abertura nomes como Björk, Brian Wilson, Grace Jones, Manu Chao, Elvis Costello, Nick Cave e David Byrne, entre tantos outros, de graça. Outro ponto alto é a queima de fogos na virada do ano na Harbour Bridge, obrigatória para quem está na cidade. Ainda no verão, o Flickerfest International Short Film Festival e Mardi Gras são eventos icônicos, enquanto no inverno o Sydney Film Festival, Darling Harbour Jazz Festival e Vivid Sydney ajudam a elevar a temperatura. Nos arredores de Sydney, subindo pela costa do estado, a região da Central Coast tem belas praias, enseadas e lagos, e na costa sul você encontra a famosa Jervis Bay e excelentes praias para o surfe, em especial entre Wollongong e a divisa com Victoria, além de muitos parques nacionais. Para o interior, no sudeste estão as Snowy Mountains, com suas estações de esqui e resorts, a apenas 90 minutos do centro da cidade estão as fascinantes Blue Mountains e, a noroeste, a menos de duas horas de Sydney, está o Hunter Valley, a região vinícola mais antiga do país.

    Mapa de SYDNEY