WEST 1

Intercâmbio

  • Nossos Destinos
  • Austrália
  • Canadá
  • Irlanda
  • Nova Zelândia
  • Sobre nós
  • Blog
  • Nossos Serviços
  • Sobre a WEST 1
  • Social Media links
  • West 1 TV
  • Escolas e Cursos
  • Agências
  • Fale Conosco
  • Intercâmbio em Montreal Canadá

    MONTREAL

    Snapshot

    Overview

    População

    1.704.694 (Censo 2016)

    Área

    365.65 km² (Censo 2016)

    Fuso Horário

    A cidade de Montreal fica na mesma zona que Toronto, Quebec, London e Ottawa. Essa zona fica a oeste do Brasil e a diferença normal entre Montreal e o Brasil é de apenas uma hora (a menos em Toronto, Montreal, Quebec, London e Ottawa) levando em conta o horário de Brasília. ** E no Horário de Verão? O Daylight Saving Time (horário de verão no Canadá) começa na segunda semana de Março. Durante esse período a diferença com o horário de Brasília é a menor de todo o ano, ficando em apena 1 hora de diferença, até Outubro. No primeiro Domingo de Novembro o horário volta ao normal e a diferença com o Brasil aumenta para 3 horas. Somente no período que ainda não terminou o horário de verão lá e já começou o nosso, que é no mês de Outubro, essa diferença é de 2 horas.

    Código Telefônico

    +1 +514 +1 (código do Canadá) / + 514 (código de Montreal)

    Localização (Região)

    Montreal é a maior cidade da província de Quebec e o segundo município mais populoso do Canadá. A cidade está localizada na região Leste do Canadá e a sudoeste da província de Quebec, cobrindo a maior parte da Ilha de Montreal na confluência dos rios São Lourenço e Ottawa. Montreal é definida pela sua localização entre o rio São Lourenço ao sul e a Rivière des Prairies ao norte.

    Data de fundação

    17 de maio de 1642

    Índice de melhor cidade para se viver

    De acordo com o último estudo “Worldwide Quality of Living Survey 2018”, pesquisa anual global da Mercer - uma das líderes em serviços de consultoria, outsourcing e investimentos -Montreal é a quarta cidade entre as 10 principais da América do Norte em qualidade de vida. A primeira cidade canadense no ranking é Vancouver. Já na classificação mundial, Montreal ocupa a 21º posição. A pesquisa foi divulgada em março de 2018, avaliou 231 cidades e suas condições relacionadas com a qualidade de vida. As dez categorias do relatório incluem política e social, econômica, sócio-cultural, médica, educação, serviços públicos e transporte, recreação, bens de consumo, habitação e ambientes naturais.

    Densidade demográfica

    4.662 hab./km² (Censo 2016)

    Custo de vida

    Estimativa mensal para uma pessoa (sem aluguel): CAD 1.006,37

    Temperatura média

    Mínima média anual: No inverno entre os -6ºC e -13ºC, em Janeiro, o mês mais frio; - Máxima média anual: Em julho, no verão, os termômetros dificilmente ultrapassam os 23ºC.

    Climate

    Com um clima semicontinental, o verão em Montreal costuma ser bastante quente e úmido, enquanto o verão é bem severo, com presença de neve entre outubro e abril, com auge em dezembro e início de janeiro. A alta incidência de ventos contribui também para a predominância de temperaturas negativas que variam entre -5 °C e -13 °C.

    A estação morna permanece entre o final de maio ao meio de setembro, com temperatura máxima média diária acima de 20 °C. O dia mais quente do ano é 20 de julho, cuja temperatura máxima média é de 26 °C e a mínima média é de 18 °C.

    Vale destacar que, como Montreal está localizada em uma ilha, a umidade interfere bastante no calor, com a elevação da temperatura, especialmente, entre junho e setembro. Ainda assim, nada se compara com o alto verão brasileiro, então, esta também é a época do ano mais propícia para programas ao ar livre por lá, já que a incidência de chuva é baixa.

    Lifestyle

    Multicultural e bilíngue, Montreal é uma metrópole moderna, sem perder as raízes que tanto demarcaram sua história

    History

    Fundada por franceses em 1642, inicialmente como um assentamento missionário, Montreal logo se tornou o principal centro do comércio de peles da América do Norte. O domínio francês, no entanto, perdurou somente até 1760, quando as colônias francesas do Canadá foram entregues à Inglaterra como consequência da vitória britânica na Guerra dos Sete Anos. Dessa forma, mesmo compondo a minoria da população, os ingleses formavam a elite de Montreal, controlando a banca e o comércio. Ainda durante o período colonial britânico, os anglos fundaram a McGill University, a mais importante e prestigiosa da cidade – e onde até hoje as aulas são dadas em inglês.

    Aos poucos, o papel de Montreal como centro de transporte estava mudando do transporte de peles para o de madeira e produtos agrícolas. Ao final do século XVI, a cidade estava se modernizando com a implantação da primeira biblioteca pública do Canadá e o serviço postal diário, que foi estabelecido entre Montreal e os Estados Unidos.

    Com o passar dos anos, a cidade continuou em crescimento com a fundação do primeiro banco do Canadá, o Banco de Montreal em 1817. Um Comitê de Comércio, precursor da Junta Comercial (1842), foi fundado em 1822 e de 1844 a 1849, Montreal serviu como a capital do Canadá.

    Em 1847, graças a ligações telegráficas com Toronto, Quebec e Nova York, foi iniciado um serviço de transporte marítimo entre Montreal, Liverpool e o continente europeu. Mais tarde, em 1856, como consequência da implantação da ferrovia de Toronto, Montreal se tornou uma cidade central, com linhas ao sul de Portland, Maine, leste até Lévis e Rivière-du-Loup, e sudoeste de Toronto e Sarnia (hoje Sarnia-Clearwater). A cidade figurou, então, como um porto internacional conectado a uma rede de linhas ferroviárias, o que se tornou vantajoso para implementação de diversas industrias produtoras de farinha, açúcar, navios, produtos de madeira, produtos agrícolas, calçados, roupas e bebidas alcoólicas.

    Com a expansão do Canadá, Montreal tornou-se a sede das duas ferrovias transcontinentais: a Canadian Pacific Railway, que chegou a Port Moody, British Columbia (em Vancouver), em 1886, e a Canadian National Railway, que mudou sua sede em Toronto em 1923. Ao desenvolver diversos ramais, essas ferrovias abriram um novo território para a agricultura e a mineração e, por sua vez, aumentaram a população e a demanda por produtos manufaturados. Montreal capitalizou todos esses desenvolvimentos, tornando-se o principal centro de fabricação do Canadá, bem como seus centros financeiros e de transporte. Montreal recebeu sua primeira iluminação elétrica em 1882, os primeiros bondes elétricos em 1892 e seus primeiros automóveis e cinemas em 1903.

    A maior parte da América do Norte prosperou após a Segunda Guerra Mundial, e Montreal não foi exceção. Suas indústrias transformaram-se para atender às necessidades de uma população local, provinciana e nacional crescente. O centro urbano transformou-se com o edifício da Place Ville Marie e a instalação do sistema de metrô de transporte público.

    Durante a Revolução Silenciosa de Quebec (1960-66) Montreal desempenhou um papel importante em um período de ativismo liberal e reforma, que também contribuiu para um crescente sentimento de nacionalismo local. Havia uma consciência de que a parte majoritária francófona da província estava sendo desfavorecida por uma população anglófona minoritária que estava no controle de grande parte da economia dominada por Montreal em Quebec. A manifestação política desse nacionalismo foi a ascensão ao poder em 1976 do Parti Québécois, que buscou independência política para Quebec por meio de referendos provinciais em 1980 e 1995. Ambos os referendos falharam e o tribunal decidiu, em 1998, que se um referendo para a separação fosse aprovado, seria necessária uma mudança na constituição do Canadá e o restante do país teria voz ativa sobre o assunto.

    Com o desenrolar do século XXI, Montreal continuou a prosperar como uma cidade dinâmica e crescente, com uma economia diversificada e uma vida cultural tão rica quanto sua história.

    Cost of Living

    Estimativa mensal para uma pessoa (sem aluguel): CAD 1.006,37

    Public Transport

    O transporte público em Montreal é de responsabilidade da STM (Société de Transport de Montréal) com vasta frota de ônibus e quatro linhas de metrô. A cidade oferece um transporte público eficiente, pontual e que funciona de maneira integrada: você pode utilizar o mesmo ticket para o metrô e completar o trajeto de ônibus. Os bilhetes permanecem válidos até 120 minutos a partir do uso no primeiro transporte e podem ser comprados no metrô ou nos ônibus, desde que você tenha o valor exato em moedas, pois, não há possibilidade de troco.

    Montreal dispõe ainda da maior cidade subterrânea do mundo, também conhecida como Réso, ou rede, em francês. Com aproximadamente 30 quilômetros de túneis e corredores que ligam você a 1500 lojas, 200 restaurantes, museus, cinemas e 14 estações de metro, a Réso é alternativa certa para não deixar de bater perna nem nos dias mais frios do inverno.

    Em contrapartida, em dias ensolarados e amenos, você pode percorrer a cidade de bicicleta. Pedalar é realmente muito comum na parte francesa do Canadá. Muitas pessoas vão para o trabalho de bicicleta ou pedalam de casa até uma estação de metrô para realizar suas atividades diárias.
    O Bixi Montreal facilita as coisas se o intuito for alugar uma magrela. O sistema oferece mais de 450 pontos de aluguel e postos de autoatendimento em Montreal. Ao chegar ao terminal basta optar por quanto tempo pretende alugar sua bicicleta, efetuar o pagamento do valor estipulado para que sua bike seja liberada. Ponto! Você já pode sair pedalando pela cidade e escolher qualquer um dos terminais para devolvê-la.

    Estude e trabalhe
    em MONTREAL

    Polo econômico de Quebec, Montreal é a maior cidade da província e o segundo município mais populoso do Canadá. De acordo com o censo de 2016, apenas 11% da população da Grande Montreal tem o inglês como língua materna. Mais de 70% dos residentes declarou o francês como idioma principal. Para o intercambista o bilinguismo da região é, portanto, um dos principais atrativos, já que o aprendizado do francês pode ser estimulado, por exemplo, em conversas despretensiosas que começam com cumprimentos como Hi- Bonjour! Aí é só escolher como responder. Além disso, todos os sinais de rua e avisos públicos são publicados em francês, por isso, o mínimo que vai acontecer, ainda que a sua opção seja estudar inglês, é você levar algumas frases-chave em francês na mala.

    Aqui os contrastes realmente interferem na rotina dos moradores. Você vai se descobrir em uma cidade canadense, mas com muitos traços europeus sem deixar para trás a modernidade norteamericana que também incide em seu repertório.

    Bastante receptiva ao imigrante, Montreal tornou-se etnicamente diversa, fato refletido nos vários bairros da cidade. Por lá você vai encontrar a China Town, uma Little Italy, um Little Portugal e vários outros bairros adotados por imigrantes como seus. Como resultado, Montreal reúne uma amostra gastronômica e cultural de várias partes do mundo.

    Com 17 parques amplos, festivais de rua e outras atividades culturais gratuitas, uma das maiores ciclovias do mundo em contraste com os menores índices criminais da América do Norte, Montreal garante segurança e qualidade de vida ao ar livre. Até mesmo durante as baixíssimas temperaturas do inverno, os 30 quilômetros de cidade subterrânea conectam os moradores a restaurantes, cinemas, shoppings, museu, entre outros pontos de interesse.

    Você sabia?

    • 'Internacional'

      Montreal é a segunda cidade com o maior número de escritórios internacionais na América do Norte, logo atrás de Nova Iorque.
    • 'Prêmios'

      A MCGill University possui 12 prêmios Nobel, recorde entre as instituições de ensino canadenses.
    • 'Francês'

      A maioria das sinalizações de transito em Montreal são grafadas em francês
    • 'Hi-Bonjour!'

      Em Montreal o bilinguismo é tão forte que é comum ser cumprimentado em inglês e francês.

    Saiba tudo sobre intercâmbio em MONTREAL

    Descubra porque estudar em Montreal com a WEST 1

    FAQ

    • 1) Por que estudar em Montreal

      O principal atrativo neste quesito é o bilinguismo enraizado em Montreal. Basta um passeio pelas ruas para avistar as sinalizações de trânsito, predominantemente, grafadas em francês ou ser cumprimentado em dois idiomas – e poder escolher retribuir ao Hi ou ao Bonjour. Aqui os contrastes realmente interferem na rotina dos moradores: você vai se descobrir em uma cidade canadense, mas com muitos traços europeus sem deixar para trás a modernidade norteamericana que também incide em seu repertório. Com 17 parques amplos, festivais de rua e outras atividades culturais gratuitas, uma das maiores ciclovias do mundo em contraste com os menores índices criminais da América do Norte, Montreal garante segurança e qualidade de vida ao ar livre. Até mesmo durante as baixíssimas temperaturas do inverno, os 30 quilômetros de cidade subterrânea conectam os moradores a restaurantes, cinemas, shoppings, museu, entre outros pontos de interesse. A Universidade de Montreal é considerada a melhor francófona (de língua francesa) do mundo, com dezesseis faculdades, com destaque para o ensino de Engenharia, a UdeM forma 11 mil profissionais ao ano. Já a McGill figura entre as melhores do mundo, é a mais antiga de Montreal e uma das três universidades de língua inglesa do Quebec.
    • 2) 8 Motivos para estudar em Montreal

      1. Oportunidade de se desenvolver em idiomas: inglês e francês
      2. Estudante full time pode trabalhar 20 horas por semana e em período integral durante as férias
      3. Renomados centros universitários compreendendo diversas áreas de ensino
      4. Em Montreal está um dos custos de vida mais econômicos do Canadá. Desde os aluguéis até a alimentação por lá é mais acessível, se comparado a outras cidades canadenses.
      5. Acesso gratuito a atividades culturais, como os festivais de rua.
      6. Quebec oferece bolsas para imigrantes que desejam fazer aulas de imersão em francês
      7. Receptividade e diversidade multicultural
      8. Segurança e qualidade de vida
    • 3) Sobre Montreal

      Centro de negócios de Quebec, Montreal é a maior cidade da província e o segundo município mais populoso do Canadá. Está localizada na região Leste do Canadá e a sudoeste da província de Quebec, cobrindo a maior parte da Ilha de Montreal na confluência dos rios São Lourenço e Ottawa. Considerada como capital cultural canadense, a cidade sedia grandes festivais artísticos ao longo do ano e seus pontos turísticos demarcam muito bem a história local. Bastante receptiva ao imigrante, Montreal tornou-se etnicamente diversa, fato refletido nos vários bairros da cidade. Por lá você vai encontrar a China Town, uma Little Italy, um Little Portugal e vários outros bairros adotados por imigrantes como seus. Como resultado, Montreal reúne uma amostra gastronômica e cultural de várias partes do mundo. A língua predominantemente falada em Montreal é o francês, com 73% dos residentes usando-a como idioma principal. De acordo com o censo mais recente (2016), apenas 11% da população da Grande Montreal tem o inglês como língua materna. Pode acontecer, por exemplo, de você ser cumprimentado com Hi e Bonjour logo em seguida. Aí é só escolher como responder. Além disso, todos os sinais de rua e avisos públicos são publicados em francês, por isso, vale aprender algumas frases-chave antes de chegar.
    • 4) Acomodação em Montreal

      Os custos de acomodação variam de acordo com o estado, a cidade e o tipo escolhido. Mas, independentemente do seu destino, na hora de pesquisar um lugar para morar tenha sempre em mente a distância em relação a sua escola e a acessibilidade via transporte público. Dito isso, vamos aos tipos:

      Curto prazo

      Hostels Backpackers (Albergues)

      Os hostels são boas opções para quem deseja economizar com acomodação. Os quartos em geral são coletivos, mas também há de casais e individuais. Preferidos dos viajantes jovens, os ambientes são bem descontraídos, de muita socialização e, com isso, muito procurados nas altas temporadas.

      Lodges

      São espécies de pousadas que oferecem quartos individuais, de casais e coletivos. O ambiente é menos agitado e mais privado do que os hostels, os preços são um pouco mais caros, mas ainda mais em conta do que os hotéis.

      Longo prazo

      Homestay (casa de família)

      A WEST 1 recomenda que, pelo menos nas primeiras semanas, o estudante se hospede em uma homestay, que são casas de famílias australianas ou de imigrantes que já estão há muitos anos no país. É lá que o estudante começa a ter contato com a cultura australiana, exercita o que aprende na escola, conhece a cidade e tira dúvidas. Para participar deste tipo de programa, as famílias são credenciadas pelo governo australiano, o que garante total segurança para o estudante.

      Share accommodation

      Após o período da homestay, o estudante já está mais familiarizado com a escola e a cidade. Sentindo-se mais independente, o passo seguinte é dividir um apartamento ou um quarto com outros estudantes, muitos deles de nacionalidades diferentes, o que é uma experiência muito bacana, além de ser ótimo para aprimorar o idioma. O aluguel, na maioria das vezes, é pago semanalmente, e antes de se mudar é preciso depositar o famoso “bond”, que nada mais é do que um adiantamento que varia de duas a quatro semanas do aluguel.
    • 5) Trabalho em Montreal

      Para que o intercambista concilie estudo e trabalho no Canadá, é preciso estar matriculado em um curso cuja carga horária seja full time, com, no mínimo seis meses de duração. Além das inúmeras opções em Ensino Superior, você poderá optar por cursos vocacionais, tais como Hospitality Management, Business Management etc. Cursos de idiomas não concedem direito a trabalho. Os cursos vocacionais (ou career colleges) são mais acessíveis e exigem um nível mais baixo de compreensão do inglês, se compararmos com o ensino universitário. Ainda assim, em muitos dos casos, essa categoria permite que o aluno trabalhe durante 20 horas por semana durante os estudos. No entanto, é preciso ainda que o curso escolhido possua o componente Co-op. Não se trata de um tipo de curso e sim de um componente do programa escolhido, no qual o aluno é obrigado a estagiar após a conclusão do curso (seja ele universitário ou vocacional). Uma maneira de praticar a teoria exposta em sala de aula. Uma vez cumpridos esses requisitos da imigração canadense, você poderá solicitar o work permit, documento de autorização de trabalho que possibilita trabalhar 20 horas semanais durante o período das aulas e 40 horas semanais durante as férias. Importante: para trabalhar no Canadá você também vai precisar efetuar cadastros gratuitos no Individual Tax Number (ITN) e Social Insurance Number (SIN). Trata-se de documentos requeridos pela legislação local para fins de recolhimento de impostos e identificação da força laboral por agências governamentais. A WEST 1 orienta sobre como obtê-los. Montreal é a segunda cidade com o maior número de escritórios internacionais em todo continente, logo atrás de Nova Iorque.  Depois de aperfeiçoar o idioma, é muito comum os alunos estrangeiros conseguirem espaço nos mercados financeiro, de pesquisa científica, serviços às empresas, educação, saúde e assistência social, além de agricultura, farmácia, tecnologia, aeronáutica e construção.
    • 6) Atrações em Montreal

      Considerada capital cultural do Canadá, ao longo do ano, as vias principais de Montreal como a St. Laurent Boulevard e a St. Catherine Street são bloqueadas para sediar festivais de rua como Just for Laughs, o maior festival de comédia do mundo; o Montreal International Jazz Festival, o Montreal World Film Festival, o Montreal Fireworks Festival e muitos outros eventos de ordem mundial. Ainda no quesito cultural, Montreal é conhecida por suas galerias de arte, museus e arquiteturas públicas que emanam história. Um exemplo disso é a Old Montreal, um bairro antigo e o mais charmoso da cidade. Ao caminhar pelas ruas é possível conhecer antigas construções que hoje se tornaram edifícios do governo e comércios de todos os tipos. São várias ruas históricas bastante procuradas pelos turistas, sendo que a principal dela é a Rue Saint Paul Ouest, que já foi considerada a principal rua da cidade. Ainda nessa região, em frente à Place D´Armes, principal praça da cidade, está a Catedral de Notre Dame. A igreja guarda um acervo religioso bastante rico, correspondente a 300 anos de história, desde a sua construção. É no Parque Mont Royal que está uma das vistas mais conhecidas do Canadá. Localizado no centro da cidade, este parque urbano oferece trilhas a pé e de bicicleta no verão (você pode alugar uma por lá), além de pista de esqui, patinação e tobogã no inverno. A cúpula de 233 metros oferece uma excelente vista de toda a cidade. Outra sugestão de passeio é percorrer o Porto Velho de Montreal a pé e acompanhar a evolução histórica da cidade, já que a região apresenta arquitetura do século XVII ao século XX, muitas vezes, lado a lado. Com gramados, parques, lojas, pequenos cafés beirando as esquinas e restaurantes, uma dica é passar o dia por lá e acompanhar o pôr do sol. Frequentemente, a região atrai exposições, artistas de rua, feiras e, dependendo da época, alguns eventos especiais como uma pista de patinação no inverno. Construído para sediar as Olimpíadas de 1976, o Complexo Olímpico abrange construções grandiosas, como a Torre Inclinada do Stade Olympique, cuja inclinação é de 45°. Embarcando em um bonde você poderá avistar a cidade do ponto mais alto da torre. O Complexo Olímpico também é sede do Biodôme - um complexo fechado que reproduz quatro diferentes ecossistemas das Américas, com vegetação de cada local e vida animal também. Junto ao Biodome, o Jardim Botânico, o Insectarium e o Planetário compõem o Montreal Nature Museums, o maior museu de ciências naturais do Canadá. Além disso, a cidade conta com 17 parques públicos bastante amplos (sem falar nos pequenos parques de bairros), piscinas públicas, uma das maiores ciclovias da América do Norte em metrópoles, além dos clubes públicos com piscinas, quadras entre outras atividades.

    Mapa de MONTREAL